sexta-feira, 14 de novembro de 2014



RH: Dicas de Filmes e Documentários

- Documentário: A Arte da Guerra;

- Filme: O Diabo Veste Prada;

- Filme: Desafiando Gigantes;

- Filme: Homens de Honra;

- Seriado: The Office (várias temporadas);

- Filme: Coração Valente;



- Filme: "Sociedade dos Poetas Mortos" e "Nascido para Matar": Liderança, estilo do líder e sua influência sobre a performance do grupo.

- Filme: "Gênio Indomável": Avaliação de performance e de potencial, e coaching.

- Filme: "Bagdá Café", "Mudança de Hábito": Gestão da mudança e papel do agente de mudança.

- Filme: "Do que as Mulheres Gostam" e "Joana DArc": Questão feminina no trabalho.

- Filme: "O Pequeno Buda": Conflito de valores.

- Filme: "Por Amor ou Por Dinheiro": Vínculo entre empresa e empregado.

- Filme: "Apollo 13": Tomada de decisão.




- Filme: O Preço do amanha

- Filme: O discurso do rei

- Filme: Como treinar seu dragão

- Filme: Náufrago

- CIRQUE DU SOLEIL – A Jornada do Homem

- Filme: A Procura da Felicidade

- Filme: Virando o jogo

- Filme: Um domingo qualquer

- Filme: Ritmo total

- Filme: Patch Adams: O amor é contagioso

- Filme: O Som do Coração

- Filme: Mudança de hábito 2

- Filme: Mestre dos mares

- Filme: Duelo de titãs

- Filme: Como Enlouquecer Seu Chefe

- Quando Nietzsche Chorou

- Filme: Treino para a Vida

- Filme: Um Ato de Coragem

RH: Um pouco sobre o cliente interno

Os clientes internos, atualmente chamados de colaboradores, são importantes para o sucesso das atividades organizacionais, uma vez que são o elo entre a empresa e o cliente externo, seja através da prestação de serviços, venda de produtos ou fabricação deles. Por esse motivo, observa-se que são um dos principais fatores que influenciam a imagem da empresa, assim como proporcionam seu bom funcionamento. Assim, vê-se a necessidade de satisfazer o cliente interno para que ele crie uma relação de comprometimento com a organização para que seja capaz de atuar de forma eficiente e eficaz, gerando um melhor ambiente para se trabalhar e, conseqüentemente, melhorando o desempenho da organização (SILVA ,2007).

Por: Emmanuel França
RH: Cuide dos seus clientes!

Compreende-se que assim como ocorre em relação ao cliente externo, o primeiro passo antes de satisfazer o cliente interno é identificar seus desejos e suas necessidades para então buscar conquistá-lo e fidelizá-lo. A satisfação se dá através da relação entre o que se espera e o que se recebe, seja de um produto ou serviço, no caso do mercado externo, ou da relação da organização com seus colaboradores. A insatisfação é gerada quando essa perspectiva não é alcançada. Poderíamos dizer que as empresas devem buscar satisfazer as expectativas geradas, no entanto, com a atual competição existente no mercado, o ideal é quando elas são superadas plenamente. Conforme Juran (1993, p. 18), considera-se que um “cliente é qualquer um que recebe ou é afetado pelo produto ou processo”. No entanto, como podemos observar, há duas definições básicas sobe o tipo de cliente: cliente interno e cliente externo.

Por: Emmanuel França

domingo, 11 de novembro de 2012

Formatos da Internet


Para se entender o que é Marketing Digital é importante conhecer, antes de tudo, alguns dos principais formatos utilizados na Internet. Através deles o usuário poderá ter acesso a páginas com informações e propagandas do seu interesse. Algumas delas, como veremos a seguir, são utilizadas como ferramentas do marketing para se obter informações e divulgar produtos e serviços que atendam aos interesses do público a que se destinam. Outras, por características próprias, não conseguem atingir estes anseios. Vejamos então:

  • Banner: criados e localizados em sua maioria na parte superior das páginas web, são retângulos utilizados como anúncios e podem ser estáticos, animados, interativos ou HTML. Também podem ser utilizados como links para outras páginas ou sites.

  • Half Banner: é o mesmo Banner retangular, porém tem a metade do tamanho de um Banner normal.

  • Banner Expansível: quando clicado ou quando o ponteiro do mouse é posicionado sobre este tipo de Banner, seu tamanho é aumentado e exibe mais do seu conteúdo.

  • Spam: o que deveria ser um marketing eficaz via e-mail, é um tipo de anúncio que costuma trazer bastante constrangimento, pois não é direcionado a um público-alvo específico, o que gera um mal-estar na comunidade on-line.

  • Scrap coletivo (Orkut): através de alguns sites é possível enviar mensagens coletivas com anúncios para os profiles da comunidade Orkut.

  • Profiles (Orkut): no início, eram criados para exibir o perfil do usuário da comunidade Orkut, mas atualmente também são utilizados para exibir o perfil de empresas ou para anunciar produtos e/ou serviços.

  • Botões: o Botão é um tipo de anúncio Banner de pequenas dimensões que pode ter inúmeras funções tais como ser um atalho para outras páginas do mesmo site ou sites diferentes e para fazer o download de softwares e arquivos não importa o formato. Diferentemente de um Banner retangular pode ser colocado em qualquer local da página.

  • Liks de texto: textos que exibem o anúncio de patrocinadores. Um bom exemplo são os anúncios que surgem após os resultados de sites de busca. Diferentemente de botões animados e Banners, são facilmente carregados e, por esse motivo, uma boa opção para sites a serem carregados em conexões de baixa taxa de transferência.

  • Po-pup: exibido em uma janela diferente, o pop-up é um anúncio que costuma ser bastante indesejável para o usuário. Por esse motivo, não é difícil encontrar navegadores que trazem bloqueador de pop-ups. Por causa da evolução dos navegadores, eles se tornaram mais sofisticados o que proporciona ainda mais insatisfação aos usuários.

  • E-mail marketing: o e-mail marketing é uma boa opção para os empreendedores que querem manter um bom relacionamento com os seus clientes. Através do e-mail newsletter é possível aumentar o sucesso de um negócio pela Internet e os principais motivos que levam a esse sucesso são os seguintes: agilidade, mensurabilidade, interatividade e alta taxa de resposta. Para que um e-mail marketing seja implantado é necessário seguir as seguintes etapas: montar a infra-estrutura, montar as listas de e-mails, adquirir software de envio, criar conteúdo de qualidade e fazer acompanhamento do e-mail marketing.

  • Newsletter: como foi dito anteriormente, a newsletter faz parte do e-mail marketing e é a sua principal ferramenta. É um tipo de e-mail que é enviado com periodicidade para usuários e clientes de uma empresa. Tem como função manter o nome da empresa na mente dos clientes e, ao mesmo tempo, mostrar o caminho para o site da empresa através de links. Conseguir o sucesso com o seu uso não é uma tarefa tão simples, é preciso que o público a que o e-mail se destina seja bem seguimentado e, ao mesmo tempo, deve trazer informações necessárias de produtos e serviços que possam satisfazer as suas necessidades para se evitar constrangimentos

  • Floating: o floating é um tipo de anúncio que é exibido em uma pequena janela que flutua sobre a página exibida. Tanto podem ser simples e não ter nada haver com a página exibida como pode fazer parte da linha criativa da mesma. Alguns podem ser bastante interativos e trazer efeitos equivalentes aos do banner expansível que tem suas dimensões modificadas quando se clica ou posiciona-se o ponteiro do mouse sobre ele.

  • Lateral: esse anúncio é semelhante às faixas de publicidade e aos banners com a diferença de que são exibidos na vertical em vez da posição horizontal. Por esse motivo, pode chegar a ter 600 pixels de altura e 120 de largura. O seu impacto pode ser maior do que o de um banner pelos seguintes motivos: suas dimensões são duas ou três vezes maior do que um banner comum e o usuário tem acesso a mais conteúdo a medida que desloca o botão de rolagem da página web (ZEFF & ARONSON, 2000).
Autor: Emmanuel França

MARKETING DIGITAL



É importante salientar que ter um site para comercializar produtos não é algo simples. É necessário seguir inúmeras etapas desde o planejamento e criação até a manutenção e atualização das informações disponíveis aos clientes ativos e em potencial, pois, caso contrário, não despertará o interesse e confiança do seu público-alvo assim como o seu retorno. Ou seja, por se tratar de mais uma forma de propagar produtos e serviços deve ser divulgada e pesquisas serão necessárias para se entender às necessidades e desejos dos consumidores. Isso pode ser feito através de meios de comunicação como jornais, revistas, rádio, televisão, catálogos e até mesmo pela própria Internet em ferramentas ou formatos como o banner, e-mail, entre outros que veremos a seguir. (ZIANE & BIANCHI, 2004).

Por: Emmanuel França

O Letramento Midiático e as propagandas institucionais



Como o que estamos discutindo aqui é a capacidade de letramento midiático da TV evidenciaremos apenas o impacto de campanhas publicitárias de caráter institucional como forma de informar e conscientizar as pessoas para causas sociais.
A propaganda institucional pode ou não ser bem administrada. Quando bem intencionada por empresas tem objetivos que visam um melhoramento e crescimento da comunidade através de ações diferenciadas e estratégias de responsabilidade social. Esses melhoramentos se dão em relação à cultura, educação e/ou preservação ambiental. Claro que as empresas agem desta forma para melhorar a própria imagem em relação as concorrentes e que indiretamente este tipo de atitude traz benefícios financeiros a longo prazo quando o consumidor se deparar com outras marcas. Ou seja, a propaganda institucional é mais uma das ferramentas do marketing. Mesmo assim, deve ser utilizada levando em consideração certos princípios como a ética para não menosprezar a capacidade de análise do público em questão e, desta forma, permitir que essas pessoas possam decidir quais são as empresas que realmente trabalham em prol dos interesses sociais da população. Percebe-se que esta prática, quando positiva, tem a função de não só aumentar a lucratividade a longo prazo, mas também de agregar valores subjetivos à marca e conseqüentemente garantir mais credibilidade. É óbvio que se trata de uma prática de interesse, mas entre uma organização com práticas que visam à melhoria de setores da sociedade e outra que não age da mesma maneira é preferível optar por esta última. Se o letramento midiático não é apenas uma forma de organizar as ações com base na escrita, pois, além disso, é um fenômeno muito mais social do que individual, é perceptível que a TV cumpre bem o seu papel neste sentido.


A discussão que se faz no Brasil sobre o letramento tem se guiado, em geral, pelo conceito de escrita como uma tecnologia e pelo de letramento como o impacto social da escrita (Tfouni 1988, Kleiman 1995, Terzi 1995, Marcuschi  2001, Soares 1998).  A discussão leva em consideração os usos sociais da leitura e da escrita e a correlação deles com a fala letrada (cf. Rojo 1994), focalizando eventos e práticas informadas pela escrita.  O letramento é entendido como uma concepção de mundo, um modo de organizar ações com base na escrita. Nesse sentido, o letramento é entendido muito mais como um fenômeno social do que individual, muito embora se revele nas ações individuais . (LINO DE ARAÚJO, 2007, p. 2).


 Compreende-se que até hoje pouco se discutiu a respeito deste tema, mas é inevitável a necessidade de entender se a TV aberta é ou não educativa e se este é o seu papel.
Segundo Araújo (2007), embora a função deste meio de comunicação não seja educar e tão pouco letrar de forma direta é preciso reconhecer que a mesma tem tido um papel importante quando se trata do letramento em curso no nosso país.
Ainda segundo a autora, pesquisas constataram que a televisão realmente é uma instância de letramento e que tem uma forte influência na formação intelectual de pessoas influentes.
Se a televisão tem esse poder em relação a pessoas com um nível intelectual considerável não é difícil imaginar qual a sua influência em relação a maior parte da população que, muitas vezes, tem a TV como único instrumento para aquisição de conhecimento. Ou seja, mesmo uma pessoa analfabeta sabe o que acontece no país e no mundo graças à televisão.
Como sabemos, quanto menor o nível intelectual de uma pessoa, maior será o impacto da publicidade e da propaganda, ou seja, maior será o seu poder de persuasão.

Trata-se (...) de um fenômeno cultural recente que está relacionado à consolidação da mídia como instância de divulgação de informação, entretenimento e ‘ensino’. Assim sendo, creio que o letramento não é apenas o impacto da escrita, mas é o impacto da supervalorização de informações e da conseqüente necessidade de fazê-las circular.  Nesse sentido, não está relacionado apenas às práticas de escrita, mas às outras práticas que também registram informações e as fazem circular. Uma dessas práticas é registrar eventos em imagem e som.  Este tipo de letramento consolida o fenômeno como plural (LINO DE ARAÚJO, 2007, p. 5).


Por se tratar de um meio de comunicação audiovisual, o que torna a televisão bastante atrativa quando comparada com o livro, por exemplo, tem um poder e uma capacidade de impactar e chamar a atenção para a informação bastante significativo. Mas é preciso salientar que isso só é possível graças à escrita, pois existe uma grande dependência e ligação com os meios impressos.


Se a televisão põe em funcionamento todo um sistema discursivo, tornando-o ainda mais eficiente porque o associa ao sistema imagético e tem como resultado um produto sensorial provavelmente nunca dantes visto, é forçoso reconhecer que este sistema discursivo não se estabelece numa inocente solicitude. Persegue o propósito da ‘colonização’, e o faz a partir da perspectiva da cultura letrada para a qual os modos de pensar, de agir, de organizar a sociedade, as relações comerciais, jurídicas, religiosas e escolares, entre outras, estão marcadas pela lógica da escrita (LINO DE ARAÚJO, 2007, p. 5).


Percebe-se que existe uma forte ligação e dependência das mídias eletrônicas em relação à escrita, que é parte central e sem ela seria impossível a existência de qualquer tipo de informação e conhecimento através de outros meios de comunicação como é o caso da televisão.

LETRAMENTO MIDIÁTICO: UMA EVOLUÇÃO EM CAMPANHAS PUBLICITÁRIAS

Emmanuel França SILVA (Faculdade do Vale do Ipojuca – FAVIP)
Orientadora: Eliete Correia dos SANTOS (Universidade Estadual da Paraíba - UEPB)

Conceito semiótico: signo



Para Peirce, um signo, também conhecido como representamen, é algo que, sob certo aspecto e medida, representa alguma coisa para alguém, que, neste caso, é o receptor que veremos mais adiante de forma detalhada.
A comunicação só é possível graças ao signo que é a unidade fundamental da comunicação, o suporte e veículo de todas as formas de comunicação. Quando queremos nos comunicar, transmitir uma idéia para alguém, se faz necessário traduzir essa idéia em signos.
As palavras, por exemplo, são signos convencionados ao longo da história com a função de representar objetos reais. Sem as palavras, seria impossível transmitir uma mensagem do tipo um maremoto gerou uma Tsuname (onda gigante) que atingiu algumas cidades litorâneas. Ou seja, para isso teríamos que repetir a mesma situação como forma de transmitir a idéia desejada. Isso não significa que apenas as palavras são signos, pois essa definição vai muito mais além do que podemos imaginar. Uma fotografia, por exemplo, passa a ser um signo a partir do momento que ela representa algo que não é ela mesma. Mas é preciso deixar claro que jamais um signo conseguirá representar o seu objeto real em todas as suas características, ou seja, essa representação das características do objeto que ela representa é sempre limitada.
Quando um indivíduo está diante de um primeiro signo, o signo criará na mente (ou semiose) dessa pessoa (receptor) um outro signo equivalente a si mesmo ou, eventualmente, um outro signo mais desenvolvido que  recebe a designação de interpretante (que não é o interprete ou receptor). A coisa representada, a qual o signo está no lugar, recebe a designação de objeto. Os signos, dependendo da relação estabelecida com os objetos que substituem ou representam podem ser ícones, índices ou símbolos.
Essa relação triádica de signo formada a partir dessas três entidades, ou seja, da relação estabelecida entre o signo, seu objeto e aquilo que o signo representa pode ser ilustrada através do triângulo semiótico, cuja finalidade é visualizar a estrutura do signo.

Autor: Emmanuel França

Retirado do Artigo: “VIVA O LADO COCA-COLA DAS CONQUISTAS": UM ESTUDO SEMIÓTICO